quinta-feira, 5 de junho de 2014

[Brian Littrell] Entrevista: Brian garante que consegue ver os Backstreet Boys ainda fazendo música aos 50 anos

Excursionando pelos Estados Unidos, o nosso querido Brian aproveitou para dar uma entrevista para o Chicago Tribune, que abre o artigo fazendo menção às inúmeras boy bands que foram se dissolvendo ao longo dos anos, pelos mais diversos motivos - brigas internas ou projetos solo - e como os Backstreet Boys são a excessão a essa regra, permanecendo unidos e lançando novos trabalhos mesmo depois de 21 anos de carreira.

Segundo o artigo, "A banda do hit I Want It That Way comemour 20 anos de carreira e lançou seu oitavo álbum - In A World Like This - no ano passado. Os Backstreet Boys vem gravando música, initerruptamente, desde 1996 quando lançou seu primeiro álbum que levava o nome da banda, nunca ficando mais de cinco anos sem lançar um novo trabalho.", mas nem tudo sempre foram flores, e os albuns solos, internações para reabilitação e processos também foram lembrados, mas logo esquecidos com a participação dos Backstreet Boys no filme "This is The End" (É o Fim).

E o segredo desse sucesso, garante o Brian, é que os meninos se divertem fazendo o que fazem. Segundo ele "os Backstreet Boys estão no cenário musical a muito tempo. Normalmente grupos como o nosso tem uma carreira de aproximadamente dois ou quatro anos. Nós sempre quisémos ter vida longa no mundo da música. E nós temos conseguido fazer isso pelas últimas duas décadas. Nenhuma das bandas do nosso estilo musical e que fizeram sucesso nos anos 90 está mais na ativa. O mercado, hoje, é voltado pra artistas solos e não para grupos."

Dinâmico, o mundo da música muda muito e constantemente, mas pra quem pensa que os Backstreet Boys estão prestes a pedir aposentadoria, enganam-se. Quando questionado se ele, Brian, consegue imaginar um cenário em que os meninos tenham 50 anos e ainda gravem álbuns e excursionem o Brian não perdeu a chance de fazer uma piadinha e dizer que eles não estão muito longe disso acontecer. "Dois de nós já estamos na casa dos 40, eu estou prestes a fazer 40, AJ está com 30 passados e Nick é o bebê, ele ainda tem chão pela frente.", disse. "Eu não sei se estaremos viajando pelo mundo o tempo todo, como fazemos agora. Nós temos estado muito ocupados pelos últimos dois ou três anos com a turnê de 20 anos. Mas, claro que eu consigo nos ver fazendo a mesma coisa quando tivermos 50 anos. Eu não vejo o motivo de não fazermos isso se ainda estivermos nos divertindo e aproveitando. Eu espero que alguém ainda queira ouvir música dos Backstreet Boys quando eu tiver 50 e poucos anos. Seria menos dançante, porém. Nós dançamos muito nos shows, hoje. Isso nos mantém em forma."

A fonte de inspiração pra uma carreira tão longa? Boyz II Men? Beatles? Não! Segundo o Brian a sua inspiração vem do Bon Jovi. Curioso pra saber porque? "Eles foram um grande sucesso durante os anos 80 e, de repente... ninguém os queria mais. Então eles foram pra Europa e continuaram a excursionar e vender discos. E a próxima coisa que você sabe é que o jogo virou e eles estão de volta aos Estados Unidos e fazendo turnês em estádios. É quase a mesma coisa que está acontecendo com a gente. Nós explodimos em meados dos anos 90 e então existiam 10 milhões de grupos iguais a nós... e a música pop meio que desapareceu. Os Backstreet Boys vem crescendo em outros lugares e gravando discos e continuando a excursionar. Agora, aqui estamos nós, 21 anos depois e as pessoas meio que estão voltando a se apaixonar pelos Backstreet Boys."

Sobre a qualidade dos últimos trabalhos, Brian não deixou barato e disse estar convicto de que eles são tão bons quantos os primeiros, embora mais "crus" e com menos superprodução. Segundo ele "as pessoas hoje querem ouvir quem você é. No nosso último álbum compusémos cerca de 85% das músicas. Isso é o que torna esse trabalho tão especial pra gente. Nós somos donos de nós mesmos. Nós temos nosso próprio selo, agora que não estamos mais com a Jive Records. Muitas pessoas desistiram de nós, mas nós continuamos lutando e fazendo música."

E como filho de peixe, peixinho é. E sendo o pai coruja que sabemos que o Brian é, claro que ele não podia deixar de falar do fofíssimo do Baylee, que nós vimos crescer. E como foi para o Baylee realizar que o pai é um "astro"? Bom, segundo o Brian, por ser um pouco artista, o Baylee entende melhor do que os demais Backstreet Babies a profissão do pai, já que ele tem aberto os shows da banda, cantando duas músicas antes da Avril Lavigne subir ao palco.

Mudando de assunto e falando um pouco sobre a participação dos Backstreet Boys no filme "This is The End" (É o Fim), Brian garantiu que em momento algum os membros da banda tiveram medo de se tornar uma piada e que desde o começo tiveam a sensação de que seria algo bem divertido e inesperado. Mais? Brian disse que espera que um dia os Backstreet Boys estejam cantando no céu, assim como acontece no filme.

Sonhos a realizar? Com certeza Brian ainda espera alcançar alguns objetivos e realizar alguns sonhos, entre eles receber um Grammy. "Nós fomos indicados muitas vezes, mas nunca ganhamos um. Então eu acho que seria uma coisa legal. Grammys são difíceis de ganhar. Seus colegas e as pessoas que fazem parte da indústria da música são aqueles que votam em você, não os fãs.", lembrou o cantor, que garantiu que eles vão continuar tentando.

E pra fechar com chave de ouro, que tal um tapa com luva de pelica? Não foge do conhecimento dos meninos que, normalmente, os Backstreet Boys são diminuidos e classificados como apenas "mais uma boy band", enquanto os recordes de venda mostram que a realidade é bem outra, colocando-os como uma das bandas recordistas em números de venda de todos os tempos. Brian disse que não quer que as pessoas o vejam como encrenqueiro, mas que é notório que os Backstreet Boys já conquistaram muita coisa nesses anos de estrada. Feliz? Com certeza, o cantor garante que está feliz com o momento em que todos eles estão na vida e com as pessoas que se tornaram. Diz saber do potencial e do talento deles, da qualidade da música que produzem e dos fãs leais que têm. E disse esperar que, um dia, o mundo se vire pra eles e diga "Bom trabalho, meninos. Quem sabe no aniversário de 30 anos, quando tivermos 50 anos e não estivérmos mais dançando."

Entrevista postada por Chicago Tribune

Um comentário:

Adriane Oliveira AG disse...

Eu tambem consigo imaginar eles fazendo musica com 0 anos,nem falta muito pra isso kakakaka Que fofo o Brian. Acho que cada dia os BSB só provam mais pro mundo que eles estão mais fortes a cada ano!