segunda-feira, 23 de setembro de 2013

[Nick Carter] "Minha família me culpou pela morte da minha irmã"

Postamos, ha pouco, um pequeno video onde Nick fala ao Dr. Phill sobre o falecimento de sua irmã Leslie e justifica sua ausência em seu funeral. Mas o Daily Mail trouxe mais informações sobre a entrevista dada ao psicólogo.

Na publicação, Nick diz que uma parte de si realmente se sentiu culpada pelo falecimento da irmã, uma vez que sempre se sentiu extremamente responsavel pelos irmãos, por ser o mais velho de cinco. Ele revelou, também, que os pais vinham tentando fazer com que a Leslie fosse diagnosticada com transtorno bipolar, por anos, sem sucesso. 

"Foi difícil. Você tem que achar uma forma de seguir e de cuidar da sua família ao mesmo tempo.", disse o cantor.

Nick também admitiu que sempre teve graves problemas de relacionamento com sua irmã, Leslie, e que foi forçado a se afastar dela poucos meses antes de seu falecimento, tanto para o seu próprio bem estar quanto para o bem estar de sua irmã, uma vez que ambos lutavam para superar suas próprias batalhas pessoais. Entretanto, esse afastamento acabou fazendo com que sua família o culpasse pelo falecimento da irmã. De acordo com Nick, sua família acredita que ela poderia estar viva se ele fosse mais presente em sua vida.

Nick declarou "Eu acho isso injuto. Chega um ponto em que você precisa se perguntar se os está machucando ou ajudando [com sua presença]."

Com tudo isso acontecendo, no dia do funeral da irmã Nick não encontrou forças para comparecer, uma vez que continuava se sentindo pressionado e odiado por parte de sua família - principalmente seu pai, Bob, com quem ele nunca teve uma boa relação.

"A razão pela qual eu não fui... Eu comecei a ser culpado pelo resto da minha família pela morte dela," ele disse.

Sobre o relacionamento com os irmãos ele admitiu que nem sempre foi fácil (tóxico), sendo a comunicação o maior problema entre eles, problema esse que ele tenta solucionar através de terapia.

Quando questionado sobre as causas da morte de sua irmã, ser ela acidental ou não, Nick relutou para responder, admitiu não saber muitas informações sobre como tudo aconteceu, uma vez que Leslie faleceu na casa do pai deles, mas disse saber que ela fazia uso de drogas.

"Leslie e eu sempre tivémos uma relação muito dificil."

"Eu não queria nada além do melhor pra ela. Quando tudo isso aconteceu eu fiquei deitado no chão do chuveio por horas, acabado, porque eu queria muito ir ao funeral dela. Foi muito dificil pra mim."

Nick disse, ainda, que seus problemas de relacionamento com seu pai começaram ainda quando ele era bem novo, uma vez que ele ganhava muito mais que seu pai com muito pouca idade.

"Era assim que as coisas funcionavam com meu pai: ele tinha uma personalidade dominante. Ele liderava pelo medo... Eu acredito que você deve liderar pelo amor."

"Eu sempre tive muita pressão quando o assunto era meus irmãos. Eu me tornei o pai... Eu ganhava mais dinheiro que meu pai quando eu tinha apenas 14 ou 15 anos. Eu me tornei o provedor."

E foi com esse espírito de responsabilidade sobre os irmãos que Nick ficou ao lado do seu irmão, Aaron, em 2011, quando ele ingressou em um programa de reabilitação para viciados.

"Quando meu irmão entrou na reabilitação, eu o levei - eu e minha noiva, Lauren".

Nick acredita que a forma como foram criados e a infancia que tiveram tem muito a ver com as pessoas que se tornaram e com o fato de que três dos cinco filhos acabram entrando e saindo de clinicas de reabilitação diversas vezes.

"A verdade é que toda essa situação surgiu da nossa criação"

Nick também lutou contra seus vicios durante anos, vicios que começaram ainda muito cedo e o levaram à sua primeira prisão em 2005. Mas o seu ponto de retorno foi a vontade de se tornar alguém melhor, um exemplo para os seus irmãos.

"Eu olhei no espelho e não me reconheci. Eu não sabia mais quem eu era," ele disse. "Eu lembro de ter pensado: 'Esse não é quem eu quero ser. Esse não é quem eu mereço ser.' Eu tomei a decisão de não viver em depressão, eu lutei contra isso."

Hoje Nick está feliz e saudável, além de noivo da Lauren Kitt, escrevendo novas músicas, excursionando com os Backstreet Boys e trabalhando em um projeto cinematográfico chamado "Evil Blessings", além de um reality show.

"Essa é a parte excitante da vida: você dá a volta por cima e se dá conta de tudo que é capaz de fazer."

Nick acredita que a dependencia dos pais em alcool o levou à sua própria dependencia, que começou também com o alcool desenvolvendo-se para drogas (cocaina, maconha, ecstasy e analgésicos) depois.

Voltando um pouco no passado, o cantor lembra que segundo histórias de familia, a primeira vez em que ele foi encontrado bebendo algo ele tinha apenas dois anos. Ele teria engatinhado até um dos depósitos de bebida do Yanekee Rebel (um bar que tinha no andar debaixo do apartamento da família). Nick também contou que os pais bebiam muito e com muita frequencia, quase sempre para esquecer dos problemas financeiros e que ele começou a beber ainda muito cedo.

"Eu comecei a beber muito quando ainda era adolescente e depois, com dezoito ou dezenove anos, comecei a usar maconha, depois cocaina, ecstasy e analgésicos, além de outras coisas."

Embora os seus companheiros de banda tenham tentado intervir, Nick culpa seus "amigos" pelo estilo de vida e comportamento descontrolado.

"Minha vida atingiu o fundo do poço", ele disse. "Nós bebiamos cerveja e tomávamos dose atrás de dose até chegarmos em um estado semi-comatoso quando o alcool efetivamente nos deixava sonolentos e letárgicos. Depois cheirávamos cocaina para conseguir um pouco de energia. Minha galeira fez desse estilo de vida um esporte. Nós repetíamos a mesma rotina noite após noite. Quando você está vulnerável e procurando por amor, você cai nessa. Eu cai de cabeça na vida noturna de Hollywood, Los Angeles."

E a vida desregrada e o vício em alcool acabaram trazendo ao cantor o diagnóstico de miocardiopatia, um enfraquencimento do coração, e foi ai que ele percebeu que as coisas precisavam mudar.

"Eu bebi, usei drogas e cai na farra até que eu paralizei e desmaiei (após o diagnóstico)," ele revelou ao psicólogo. "Eu acordei em um quarto de hotel e minha cabeça doia tanto que eu não conseguia focar minha visão... Meu coração batia muito alto, e achei que alguém estava na porta. Eu decidi que meu corpo estava gritando por atenção pela última vez... Era mudar ou morrer."

Embora Nick admita que ainda recai quando o assunto é alcool, ele admite estar mais saudável e feliz do que nunca e ansioso pelo seu casamento com sua noiva, Lauren Kitt - que será mostrado no reality show que será promovido pelo casal.

Ele disse, "Eu não sou perfeito, agora. Eu ainda recaio quando o assunto é alcool. Mas eu estou vivo e coisas muito boas tem acontecido pra mim nos últimos anos."

Nick também fala de seu relacionamento com Paris Hilton, quem, segundo ele, era a pior pessoa do mundo para ele ter um relacionamento, uma vez que ela "alimentava seus piores impulsos"

Indo além, Nick disse que durante seu relacionamento com a socialite as coisas eram tão sérias que poderiam ter terminado em tragédia.

Sobre a quantidade de drogas que ele usava, o cantor não esconde "durante o auge do meu problema eu tomei ecstasy, cocaina e bebia uma garrafa grande de vodka toda noite." Sobre o ecstasy, Nick diz estar arrependido, ele acredita ter sido essa a droga responsável pelos episódios de depressão que ele enfrenta hoje.

Postado por Daily Mail

Subscribe to ..::We Love AJ McLean::.. by Email

Um comentário:

Adriane Oliveira AG disse...

Acho q o fato não é exatamente isso.Nick está levando as coisas um pouco pra outro lado! Mas acho q isso é a própria consciência dele o cobrando.Quero dizer,ele e os irmãos dele sõa pior q cão e gato.A irmã dele morreu e já tinha tempos q eles não se falavam!!Ela morreu e el não teve tempo de dizê-la q sentia muito! Se repararem,ele e Aaron estão muito próximos agora.É triste,mas parece q a morte da Leslie abriu os olhos deles para darem valor uns aos outros :(